Dia da Mãe

Por que Deus permite
que as mães vão-se embora?
Mãe não tem limite,
é tempo sem hora,
luz que não apaga
quando sopra o vento
e chuva desaba,
veludo escondido
na pele enrugada,
água pura, ar puro,
puro pensamento.

Carlos Drummond de Andrade

Amanhã é o dia da Mãe! Os mais pequenos vão trazer as lembranças elaboradas com todo o carinho  com a ajuda das suas professoras, os mais crescidos vão comprar flores ou algum objecto que aqueça o coração à mãe através do gesto.

Seria bom recusarmos o materialismo destes dias e usá-lo apenas como dias de contacto, de toque e de reflexão.

O dia é de homenagear todas as mães, todas as mães que de forma distinta “dão à luz”, todas as mães que se esforçam diariamente para alimentar os filhos, para lhes dar educação, para lhes construir as asas que os levarão ao futuro felizes e realizados.

O dia é de homenagear mães que trabalham mais do que 8 horas por dia, que não sabem o que são fins de semana ou dias de folga, que carregam às costas a responsabilidade de criar uma família.

O dia é de homenagear as mães que se recusam a calar a injustiça dos patrões que exigem que não usem o seu direito de amamentar.

O dia é de homenagear as mães que lutam pelo caminho do sucesso profissional não abdicando de serem mães.

O dia é de homenagear as mães que se envolvem na participação activa na sociedade,  nas associações, nos movimentos, nos partidos, nos sindicatos, porque assim serão melhores mães.

O dia é de homenagear as mães que com contratos precários mantêm a cabeça erguida e não baixam os braços porque lutam não só por elas, mas também pelos seus filhos.

O dia é de homenagear as mães que com o coração cheio de amor fazem todos os dias o melhor que sabem para criar os seus filhos numa sociedade que cada vez lhes exige mais, apenas por serem mães e mulheres.

O Dia da Mãe serve para relembrar que por trás de cada um de nós existe ou existiu uma mãe que nos moldou e à qual devemos aquilo que somos. Este dia de celebração serve também para homenagear as avós que são mães duas vezes, que mesmo depois de verem as suas filhas serem mães e os seus filhos serem pais, não abdicam do seu papel principal, o de mãe.

As mães lutadoras, que para mim são todas, desejo um feliz Dia da Mãe!!!

Mariana Silva, 34 anos, licenciada em Estudos Portugueses e Lusófonos, na Universidade do Minho. É eleita na Assembleia Municipal de Guimarães desde 2009, eleita na Assembleia da União de Freguesias Oliveira do Castelo, São Paio e São Sebastião desde 2013 e membro do Conselho Nacional do Partido Ecologista “Os Verdes”.
Por decisão pessoal, a autora do texto não escreve segundo o novo Acordo Ortográfico.