Passa Culpas

Na rotunda de Silvares podemos perceber qual foi o passado de Guimarães e qual será o seu futuro. Ali encontramos cartazes sobre os grandes eventos da cidade, cartazes com os rostos do passado que pretendem continuar no futuro e os rostos que podem ser a alternativa.

Naquele pequeno espaço encontramos também promessas eleitorais e prestação de contas do trabalho de quatro anos que está prestes a terminar. E aquela rotunda foi a escolhida para albergar tanta informação porque é naquela rotunda que vimaranenses e visitantes passam algum do seu precioso tempo parados até conseguirem ultrapassar aquele obstáculo, a Rotunda de Silvares.

Como não podia deixar de ser a promessa escrita e fotografada, vezes sem conta, é a que tem dado mais polémica. Falo-vos do cartaz da coligação Juntos por Guimarães que promete resolver o caos que se vive diariamente naquela rotunda em 12 meses.

O que cada um de nós sabe é que aquela rotunda sempre foi próspera em problemas, senão vejamos:

Quem vem de Creixomil é obrigado a ir à rotunda da Igreja para voltar à rotunda de Silvares e tomar o seu rumo.

A rotunda de Mouril foi construída quando já se sabia da necessidade, urgente, de se fazer o desnivelamento da rotunda de Silvares. E mais uma vez se deixou de parte o que era realmente necessário para se arranjar mais uma dificuldade.

Depois de construída a rotunda de Mouril percebeu-se que a única via construída para descer para a rotunda de Silvares não era suficiente para que o trânsito circulasse sem problemas e teve que se arranjar uma solução. Mais uma obra para resolver a obra anterior.

E no que a este problema diz respeito relembro que a CDU fez uma proposta mais eficaz que seria a construção de uma via à direita para fazer a ligação à variante de Creixomil. No entanto, a solução encontrada foi a de se fazer uma via dedicada numa rua com habitações, levando a estes habitantes o desassossego e a insegurança.

Sendo assim e passados 9 anos desde que se falou no desnivelamento da rotunda de Silvares os problemas de trânsito lento em determinadas horas do dia mantém-se. Mesmo depois do dinheiro gasto nas pequenas e ineficazes soluções encontradas pelo poder local.

Hoje a solução do desnivelamento é apontado por uns como um compromisso já assumido pelo Governo e para outros a solução será executada em 12 meses se ganharem as eleições no dia 1 de Outubro.

Uns e outros defendem a sua dama enchendo a cidade com cartazes explicativos, com discursos carregados de argumentos válidos. Uns e outros lutam, não pela paternidade da ideia, mas pela adopção da ideia e concretização da mesma.

Parece que o PS só assinou com o Governo uma primeira fase de estudos, por isso, os vimaranenses terão que esperar até Dezembro de 2019 que se decida de que forma será feita o desnivelamento.

No caso da coligação Juntos por Guimarães a promessa da realização do desnivelamento em 12 meses parece demasiado irreal, visto que, durante 9 anos PSD/CDS também governaram e não deram resposta à questão. Também não me consta que os deputados destes dois partidos eleitos pelo distrito de Braga tenham sugerido que esta obra constasse dos diferentes Orçamentos de Estado.

Assim sendo, o passa a culpa vai-se manter durante a campanha eleitoral e depois das eleições, o que não vai passar tão cedo é o problema para quem tem que atravessar aquela rotunda todos os dias.

Mariana Silva, 34 anos, licenciada em Estudos Portugueses e Lusófonos, na Universidade do Minho. É eleita na Assembleia Municipal de Guimarães desde 2009, eleita na Assembleia da União de Freguesias Oliveira do Castelo, São Paio e São Sebastião desde 2013 e membro do Conselho Nacional do Partido Ecologista “Os Verdes”.
Por decisão pessoal, a autora do texto não escreve segundo o novo Acordo Ortográfico.