Leggy pela primeira vez em Portugal: estreiam em Guimarães

Amanhã, 11, o rock alternativo toma conta do Centro para os Assuntos da Arte e Arquitectura, em Guimarães, com o trio garage punk norte-americano Leggy, que se estreia em Portugal. Antes, tocam os bascos Albert Cavalier. A partir das 22h30.

O trio Leggy foi, no mês passado, incluída numa lista do New York Times com os 25 projetos que provam que a cena musical norte-americana é dominada por mulheres, toca no Centro para os Assuntos da Arte e Arquitectura, em Guimarães. Este concerto é o primeiro que decorre sob a iniciativa EGO, com o qual a Capivara Azul – Associação Cultural vai apresentar a sua programação regular de música. As escolhas para o primeiro espetáculo anunciam a intenção de trazer a Guimarães projetos musicais que venham tocar pela primeira vez na cidade, com especial atenção ao território do rock alternativo. O ciclo EGO conta com o apoio da cerveja artesanal Letra.

Segundo a comunicação da Capivara Azul, a música do trio do Ohio aborda abertamente as lutas feministas e temas como a sexualidade, o que tem tido repercussão numa sociedade como a dos EUA que, cada vez mais, está colocada perante as suas próprias contradições nestes campos. O garage punk das Leggy assenta no poder de duas mulheres: Veronique Allaer (guitarra e voz) e Kerstin Bladh (baixo e voz).

O terceiro elemento da banda é o baterista Chris Campbell. O trio é amigo desde os 14 anos, mas só formaram a banda, anos mais tarde, em 2013. Partilhavam então uma casa, a que chamavam Cavity Castle, que viria a ser também o nome do seu primeiro EP, lançado em 2015.

Esse registo de seis faixas permitiu entrever o seu punk luxuriante, mas por vezes revestido a algodão-doce, com força e melodias cativantes. Esse lançamento foi o início de um percurso que as levou a tocar com lendas do punk como Alice Bag e Shonen Knife, ao qual juntaram um disco auto-intitulado lançado em 2016. As Leggy estão neste momento a preparar um novo álbum, que sairá no início do próximo ano.

As norte-americanas chegam acompanhadas por Albert Cavalier, projeto baseado em Donostia-San Sebastián, com quem vão fazer uma mini-tour ibérica, com passagens, por exemplos, pelas cidades de Madrid e Santiago de Compostela, antes de chegarem a Guimarães.

Albert Cavalier nasceu quando os seus quatro elementos eram ainda adolescentes, em 2014. No seu som predominam as guitarras, ruído controlado e pinceladas psicadélicas, proclamando o seu amor pelo rock alternativo dos anos 1990. Apesar de jovens, estes bascos já tocaram em festivais como Kutxa Kultur e Irún Rock, em Espanha, e em salas importantes como o Razzmatazz de Barcelona e Costello de Madrid. Em 2015, lançaram o seu primeiro registo, o EP “We don’t fucking surf”, de produção caseira. Acabam de editar o single “Wasted & Stoned”, que serve de avanço a um primeiro longa-duração que está em preparação.