Maturidade democrática

Na última Reunião de Câmara do mês de junho, os partidos da oposição com assento na Câmara Municipal de Guimarães, PSD e CDS, apresentaram uma proposta resultante do seu programa eleitoral, que apelidaram “Desporto para Todos”.

Uma proposta fechada que, sendo aceite, conjugaria a aprovação do apoio ao pagamento dos seguros desportivos, dos exames médicos para atletas e das inscrições nas federações desportivas.

Em resultado do debate dessa Reunião de Executivo, a proposta foi chumbada com os votos do PS, apresentando a argumentação que estava na base deste chumbo. Traços gerais, a Câmara Municipal já apoia a formação por via de protocolos anuais na casa dos 300 mil euros, sendo que esta proposta resultaria num apoio na casa dos 120 mil euros. A menos que fossem cumulativas, e aí mais questionável, o que estaríamos era a falar de uma diminuição do apoio aos clubes.

Apresentadas as razões do PS, a propostas foi chumbada, e dado um sinal de abertura a, pelo menos, um dos pontos constantes na proposta: os exames médico-desportivos.

Curiosamente – e este é um facto menor nesta história – no debate Contraponto (Rádio Fundação e Rádio Universitária do Minho) que se seguiu a esta reunião de Câmara, estive presente em representação do PS e fiz questão de notar que uma oposição responsável e persistente, olharia para o debate que levou ao chumbo da proposta, reconsideraria algumas matérias e dividiria as propostas, percebendo a abertura que havia a, pelo menos, uma delas.

Felizmente, os responsáveis do PSD local tiveram mais maturidade democrática do que os meus colegas de painel nessa data que menorizaram a proposta que lhe fiz, e sentiram alguma ofensa pelo facto de alguém que está no partido que tem a maioria tem a desfaçatez de opinar sobre a forma de fazer oposição.

Da CDU ouvi ainda que quem está eleito para Governar é o PS e que não cabe à oposição este papel que sugeri que pudessem cumprir.

Os vereadores do PSD e CDS apresentaram a proposta à última reunião de câmara de forma dividida e com sinal de abertura para o debate de cada uma delas. Mais maturidade democrática ainda, revelou Domingos Bragança, enquanto Presidente de Câmara, ao sugerir que as propostas pudessem ser retiradas conforme estavam e consensualizadas em reunião de trabalho com o atual vereador do Desporto, Ricardo Costa.

É isto que os vimaranenses esperam dos seus políticos. É isto que os portugueses esperam dos seus políticos. Compromisso com os seus programas eleitorais, prioridade à aprovação de propostas em prol dos vimaranenses em detrimento da política partidária de “caça ao voto”, casos ou polémicas. Responsabilidade e maturidade democrática. Esteve bem Domingos Bragança, estiveram bem os vereadores da oposição.