As esperas!

Em Agosto apetece passear, visitar lugares novos, visitar amigos e familiares, frequentar praias com mar e praias com rio, sobretudo estas últimas que o nosso concelho deveria oferecer mas nem uma bandeira azul tem para contar história ou cantar vitória.
Mas adiante. Estas viagens são feitas de automóvel individual ora pois claro. Se o transporte dentro do concelho é o que é, imaginem a dificuldade que é usar transporte público para nos deslocarmos para outros concelhos, mesmo que próximos.

A auto-estrada permite aproveitar bem o dia, evitar as filas de trânsito das estradas nacionais e chegar rapidamente ao destino desejado. Quem deseja chegar rápido são também os emigrantes com as saudades que não lhes cabem no peito de rever familiares e amigos, de comer a comida caseira, de aproveitar as “tainadas” até ao último dia.

Depois temos os outros, aqueles que trabalham e que usam a auto-estrada durante todo ano inclusive neste querido mês de férias e calor.
E tudo podia ser mais fácil para os vimaranenses, trabalhadores, visitantes, turistas e emigrantes se, ao chegarem ao nó de Silvares, não se vissem e desejassem para entrar na cidade. As filas começam na portagem e de nada adianta a ideia genial da Via Verde.Nestes momentos todos são iguais, todos os que se atrevem a tentar entrar na cidade ou a sair em horas de ponta pode bem respirar fundo, ler o jornal, ouvir as noticias ou desesperar.

Em tempos de eleições, já lá vai quase um ano, para esta rotunda prometia-se a solução mágica, as filas iam terminar logo que os vimaranenses decidissem quem ficasse com a governança do concelho. Dizem que a festa foi bonita, o executivo criado e os trabalhos iniciados. Pior é que os meses passaram e os mesmos que liam na rotunda que ali ia nascer um viaduto, quem sabe um túnel, continuam parados a olhar para a rotunda firme, sem qualquer alteração.
Repita-se. Passados 10 meses da promessa e 14 meses do acordo com o governo, tudo continua igual. O estudo que estava quase concretizado afinal ainda não está, ainda está a terminar e fica a promessa, mais uma, que em Setembro será apresentado o projecto. Parece que vamos ter um túnel, obra cara e demorada.

Mais de 10 anos para se encontrar uma solução e mais uns anos para se concretizar o que há 1 ano se apresentava como uma questão de resolução fácil. Quem ouviu o candidato do PS, Domingos Bragança, nas diversas entrevistas, podia jurar que a obra teria o seu início ainda em 2017. Em Agosto de 2018 o presidente da câmara Domingos Bragança garante que o projecto está quase concluído, mas ainda falta apresentá-lo, e falta abrir o concurso, em 2018 se tudo correr bem, e falta todo o processo demorado dos concursos. Até se ver luz no fundo do túnel ainda muita tinta vai correr.
Aos vimaranenses, trabalhadores, visitantes, turistas e emigrantes que se vêm confrontados com as enormes filas apenas podemos desejar que sejam pacientes porque o futuro é promissor, promessas não faltam – rotundas novas, ciclovias por todo o concelho, uma rede de transportes públicos invejável e eléctrica – teremos um pouco de tudo à vontade do freguês. Por último, deixar-vos um pensamento já reflectido no artigo da semana passada. Parece que as críticas e o descontentamento dos vimaranenses chegam finalmente a Santa Clara, porque notícias destas em pleno querido mês de Agosto só podem ser “reacções a quente” para calar vozes descontentes