V Festival Internacional de Guitarra de Guimarães

Sete razões para participar 

no Festival Internacional de Guitarra de Guimarães (FIGG), uma produção 100% vimaranense, traz em dezembro à cidade de Guimarães, a guitarra ao mais alto nível.

Um pouco de história…

O FIGG nasceu em 2014, no seio da Sociedade Musical de Guimarães, com objetivo de reforçar a vertente da guitarra no panorama musical, quer no contexto pedagógico e formativo, quer no do espetáculo, visando potenciar uma nova atitude de aproximação à guitarra clássica, ainda pouco divulgada como instrumento solista.

A sua primeira edição teve adesão imediata, com a participação de mais de uma centena de jovens guitarristas oriundos de Portugal e de alguns países da Europa. O programa incluiu concertos, masterclasses e um concurso internacional de guitarra.

Ao longo das edições seguintes, com o apoio do Município de Guimarães, o programa foi reforçado e até alargado, com a inclusão de novas rubricas em parceria com investigadores de várias universidades portuguesas e estrangeiras.

No ano de 2017, o FIGG conquistou, definitivamente, um lugar na agenda internacional dos festivais de guitarra, tornando-se parceiro fundador da primeira plataforma europeia no setor da guitarra clássica denominada EUROSTRINGS – European Guitar Festival Collaborative – uma plataforma cofinanciada pelo programa Europa Criativa da União Europeia

A V edição deste festival está próxima e aproveito para vos apresentar sete razões – podiam ser mais –  para se juntarem a nós em dezembro:

  • Conheça artistas de renome mundial

Várias gerações de artistas de renome internacional, vencedores de alguns dos maiores certames de guitarra clássica do mundo, já passaram pelo nosso festival. Costas Cotsiolis, Judicaël Perroy, Michalis Kontaxakis, Dejan Ivanovich, Hubert Käppel, Jose Manuel Dapena, Ricardo Barceló, Pedro Rodrigues e Joaquim Simões são alguns exemplos, entre outros.

  • Participe nas Masterclasses

A vertente formativa tem sido a grande aposta deste festival ao longo dos anos, sendo, à data, o festival de guitarra em Portugal com maior oferta dedicada à formação. A partilha de conhecimentos e o aperfeiçoamento da performance são tópicos fundamentais. Os participantes ativos são, por princípio, guitarristas com uma formação específica; no entanto, qualquer pessoa poderá assistir mediante uma inscrição como ouvinte.

  • Acompanhe o Concurso Internacional de Guitarra “Cidade de Guimarães”

 É um dos momentos mais importantes do FIGG, com cerca de uma centena de jovens participantes por ano, entre portugueses e estrangeiros, repartidos por sete categorias. A título de curiosidade, refira-se que o vencedor da última categoria, para além de um prémio financeiro, será convidado a tocar e orientar masterclasses em pelo menos dez festivais europeus de guitarra.

O Centro Cultural Vila Flor, a Plataforma das Artes e o Auditório da Universidade do Minho, acolhem nestes dias centenas de pessoas que se juntam para assistir às provas. A entrada é livre.

  • Conheça os artistas EuroStrings

Facilitar a mobilidade internacional de jovens guitarristas emergentes, bem como a criação de novos públicos através da promoção de programas educacionais e formativos para jovens provenientes de áreas socialmente desfavorecidas, são alguns dos objetivos fundamentais do programa “Eurostrings Artists”. Com o apoio da UE, jovens guitarristas emergentes, vencedores de concursos internacionais de guitarra dos festivais membros da plataforma, vêm a Guimarães para uma série de concertos, masterclasses e programas educativos. A não perder!

  • Assista aos concertos em locais emblemáticos da cidade de Guimarães

Guimarães possui infraestruturas culturais de elevado nível, que tornam possível a realização deste tipo de eventos.

Falamos em auditórios de espaços culturais como o Centro Cultural Vila Flor ou a Plataforma das Artes e Criatividade, ou mesmo monumentos históricos com condições acústicas excelentes para este instrumento, como o Paço dos Duques de Bragança e Igreja de Santo António dos Capuchos.

Assistir a um concerto de guitarra clássica nestes locais será certamente uma experiência inesquecível.

  • Participe nas Conferências

O contacto com outras áreas do saber é fundamental para a formação destes jovens artistas. Musicologia, Psicologia, Ciência e Tecnologia, são alguns dos temas abordados ao longo das últimas edições. Por exemplo, a comunicação “Música como Janela para o Cérebro”, em colaboração com o neurocientista Tiago Gil Oliveira, aborda a relação música, memória e doença de Alzheimer.  O investigador refere que “o objetivo é apresentar evidências científicas de como o estudo do impacto da música no cérebro poderá levar a uma melhor compreensão sobre o seu funcionamento”. Foi um sucesso, que culminou com vários convites para a sua repetição, entre eles a Semana Internacional do Cérebro de 2016, na cidade da Maia.

  • Contacte com este instrumento – A guitarra é para todos! Este festival não é só para especialistas, é também para os amantes da guitarra e para todos aqueles que queiram ter o primeiro contacto com esta arte. Além de todo o programa, este evento contempla também concertos educativos e interativos, destinados principalmente e a jovens, mas não esquecendo o público em geral. Vamos todos experimentar?

Muito obrigado Catarina Castro Abreu pelo convite. Os meus sinceros parabéns por toda a energia e qualidade que reconheço neste projeto Duas Caras. Um exemplo de jornalismo independente que deve ser partilhado e apoiado.

Nuno Cachada é Guitarrista, Compositor e Professor de Guitarra Clássica nos Conservatórios de Guimarães e Felgueiras. Fundador e Diretor Artístico do Festival Internacional de Guitarra de Guimarães.