14.ª Convenção do Partido Ecologista «Os Verdes»

Quando estiverem a ler o meu artigo desta semana, estarei a participar na 14.ª Convenção do Partido Ecologista «Os Verdes», que terá lugar na Faculdade de Ciências em Lisboa.

Os trabalhos decorrerão no sábado e no domingo, várias horas de debate, reflexão, partilha, balanços, convívio e compromisso para o futuro.

As diferentes e diversas intervenções que terão lugar serão feitas pelos delegados eleitos nas diversas regiões do país. Tomaremos o pulso à conjuntura política nacional e internacional. Seremos confrontados com realidades com as quais nem todos temos grande familiaridade, será possível partilhar métodos de trabalho e práticas para que possam ser aplicadas noutros colectivos e para que as populações nos continuem a confiar a solução dos seus problemas.

Os Verdes são reconhecidos pelas suas iniciativas de rua, que nos colocam em posição favorável em relação aos outros partidos. Á porta das escolas entregamos documentos com cartoons sobre o “A” de Ambiente na Constituição da República, levamos aos jovens portugueses não só a proximidade com a Lei fundamental, como chamamos a atenção, de uma forma leve, para os graves crimes ambientais.

Nos locais mais movimentados das cidades portuguesas e até nas praias, os Verdes levaram a questão das Alterações Climáticas. Uma exposição de rua que, com a ajuda dos companheiros dos colectivos, se montava bem cedo e se desmontava ao fim do dia, com quadros que através dos cartoons alertavam para a mudança, “O Clima está em mudança, toca a mudar também!”. Um esforço que valeu a pena para ouvir as populações, perceber as suas preocupações e chegar até aos problemas que por vezes não chegam por outras vias.

As pessoas aproximam-se, confiam e sabem que dos Verdes podem esperar a preocupação com as questões ambientais, mas também sociais.

Através das Conversas Ecologistas tem sido possível chegar aos temas mais controversos, abrir a porta das sedes do Partido, para deixar entrar quem esteja realmente interessado numa discussão séria, com argumentos construtivos e com a certeza que é na partilha de soluções e de possibilidades que o trabalho dos Verdes cresce a cada ano que passa.

Os Verdes fizeram 35 anos de um trabalho justo, diversificado e muito rico, nas diversas áreas, quer seja nos órgãos do poder local como no parlamento. Junto das associações, dos movimentos, dos sindicatos, da juventude e do plano internacional, muito trabalho que nos preenche mas que não “nos basta”.

As lutas nunca são demais, o projecto ecologista pretende conhecer o mundo e a sociedade em que nos inserimos para que os princípios de justiça social e ambiental conduzam à felicidade de todos os que habitam no Planeta Terra.

Não podemos deixar de lamentar que algumas lutas nos acompanhem desde a fundação do PEV, que os rios por todo o país continuem poluídos, muitas vezes com o “fechar de olhos” do poder central e local. Que se continue com a ameaça da privatização dos serviços públicos, como por exemplo a água, um bem necessário à sobrevivência do ser humano. Que continuemos a lutar por um médico de família para cada português ou que se continuem a encontrar escolas em tal estado de degradação que não imaginamos como é possível que a comunidade escolar seja capaz de fazer frente ao desconforto das estruturas e seja capaz de passar os conteúdos dos programas escolares. Às vezes ainda se torna irreal a luta pela mobilidade, pela possibilidade de se optar pelo transporte público, é inacreditável que por toda a Europa se recuperem linhas ferroviárias e que por cá se teime em fechar linhas e se deixe ao abandono as carruagens. Mesmo em tempo de aumento dos utentes.

Por isso, esperamos assistir a um debate vivo na 14.ª Convenção do Partido Ecologista Os Verdes e que o compromisso com o futuro possa ser também o do fortalecimento do partido, porque com mais força podemos chegar à resolução de problemas novos e antigos e assim atingirmos o nosso propósito, o de construirmos um país melhor, num mundo melhor!

Mariana Silva, 36 anos, licenciada em Estudos Portugueses e Lusófonos, na Universidade do Minho. É eleita na Assembleia Municipal de Guimarães desde 2009, eleita na Assembleia da União de Freguesias Oliveira do Castelo, São Paio e São Sebastião desde 2013 e membro do Conselho Nacional do Partido Ecologista “Os Verdes”.
Por decisão pessoal, a autora do texto não escreve segundo o novo Acordo Ortográfico.