Guimarães tem tudo para se ser feliz!

comercio de gmr

A felicidade é um conceito subjetivo, por isso não se pode dizer que Guimarães tem tudo para se ser feliz. Ainda que o tenha. Em jeito de balanço do ano é esta a reflexão que vos proponho.

O aeroporto Francisco Sá Carneiro é de Guimarães. Liga-nos à Europa e ao Mundo. A centralidade na região Norte, e as boas acessibilidades rodoviárias.

Na saúde dispomos de uma rede de cuidados primários eficaz. Centros de Saúde e USF’s renovadas; um bom Hospital Público, apesar de um serviço de urgência a abarrotar; uma boa rede de cuidados continuados, em quantidade e qualidade.

Na educação, ao nível do 1ª ciclo, 2ª e 3ª ciclos as políticas do Município fazem de Guimarães uma referência material, com um edificado escolar renovado e em constante renovação; mas sobretudo ao nível imaterial com políticas educativas universais da cidade à freguesia mais periférica.

A Universidade do Minho é a principal responsável pela abertura de Guimarães ao Mundo, ao conhecimento e ao progresso social. Continua forte e cada vez mais liderante no panorama nacional.

Ao nível do emprego Guimarães tradicionalmente marcado pelo trabalho operário conseguiu lentamente ajustar a sua mão-de-obra. As taxas de desemprego em linha com a média nacional, reproduzem quase uma situação de pleno emprego. Muito se deve às indústrias, ao comércio e serviços e ao Município de Guimarães que através da sua Divisão de Desenvolvimento Económico que criou um clima favorável ao investimento e proximidade às empresas. O investimento vimaranense e a produção dos trabalhadores do nosso Concelho, fatores de que nos devemos orgulhar, são um contributo excecional para o crescimento do país.

Guimarães é um território seguro. Podemos dormir com a chave na porta! Sair madrugada fora. Deixar os filhos brincarem na rua. Temos forças de segurança adequadas e fenómenos de delinquência e criminalidade pontuais.

Do ponto de vista cultural à Programação cultural eclética e acessível, pela quantidade e pelo preço juntam-se bons exemplos de produção cultural local.

As associações desportivas, culturais, recreativas, etnográficas, juvenis, humanitárias, da economia comercial, industrial e agrícola criam oportunidades para todos e acrescentam valor a Guimarães.

O setor social é determinante no apoio às famílias, na escolarização precoce das crianças, no combate ao isolamento e no envelhecimento ativo dos nossos idosos e no acompanhamento e atendimento social dos mais vulneráveis.

Ao nível da habitação, Guimarães é reconhecida pela qualidade das políticas e das habitações sociais geridas pelo Município, em contraposição com as habitações do IRHU. Há, contudo, novos desafios que Guimarães e a generalidade das médias e grandes cidades Portuguesas enfrentam ao nível habitação acessível para as classes médias. É, por isso, com bons olhos que entendemos a criação da nova Divisão Municipal de Habitação.

Ao nível do Ambiente Guimarães a agenda ambiental está na ordem do dia, consolidada entre os vimaranenses, muito pela ação do Município, das freguesias e das brigadas verdes do Concelho. Paralelamente está, ainda em debate público, o Plano de Mobilidade Urbano Sustentável e estará também em discussão o estudo em fase de realização sobre o modelo para o desenvolvimento dos transportes públicos de Guimarães dois documentos estratégicos para o futuro do Concelho.

A felicidade é um conceito subjetivo, por isso não se pode dizer que Guimarães tem tudo para se ser feliz. Ainda que o tenha. São muitos os desafios para vencer. Contudo, do que conheço, não há melhor território para viver do que o de Guimarães.

Um bom 2019 para todos!

Luís Soares, 35 anos, Licenciado em Direito pela Universidade de Coimbra. Lidera a Concelhia do Partido Socialista em Guimarães desde 2018 e desempenha o mandato de Deputado à Assembleia da República e de Presidente da Junta de Freguesia de Caldelas, Vila das Taipas.