A democracia funciona

Duas caras banner copiar

Olá a todos/as.

Começo por, em jeito de justificação por esta minha ausência, agradecer a disponibilidade da Catarina, que, como coordenadora deste projecto, sempre me deu o tempo necessário para me organizar. Os motivos foram pessoais, de ordem política e pelo facto de, como presidente de um sindicato, ter ficado com o tempo curto para tantas tarefas e compromissos.

Não podia deixar de referir o bom resultado que o BE obteve nas eleições para o Parlamento Europeu, para o qual conseguimos dois lugares, a Marisa Matias e o José Gusmão. Este resultado foi sem dúvida fruto da campanha do BE, dos seus candidatos, e sem dúvida das pessoas que na rua nos abordaram, a quem nunca fugimos de ouvir e dar resposta.

Mas a vida está cheia de desafios, coisas e acontecimentos que nos empurram para seguir em frente, esperando que o nosso contributo possa de alguma forma, mudar a perspectiva que alguns têm sobre a política e os políticos, e sobre quem sabe, a sua própria vida.

É aqui que entra a democracia, não apenas na sua vertente teórica, em que temos direito à nossa opinião, desde que não ultrapassemos os limites que outros nos querem impor, não vá democracia ultrapassar barreiras inultrapassáveis.

No sábado passado, em Assembleia distrital, o BE escolheu aquele que será proposto como cabeça de lista a apresentar aos órgãos do partido, assim como os primeiros três nomes que o acompanham, para as próximas eleições legislativas.

A democracia funciona.

E não foram favas contadas. Pela primeira vez, os aderentes do BE em Braga escolheram entre duas candidaturas. Uma e outra com políticas e práticas diferentes. Uma soube trabalhar para construir pontes para objectivos comuns, para operar mudança, trazer frescura, criatividade, apesar dos velhos do restelo, e de para quem, democracia sim senhor, mas a unidade é para manter.

Ora, na minha opinião nada mais errado. Em política, como noutra área qualquer a democracia não pode ser aquartelada. Em democracia temos de saber ouvir e aceitar opiniões diferentes, discutir pontos de vista, sermos aguerridos na defesa da nossa, mas é fundamental procurar pontos de entendimento.

Mais uma vez os aderentes do BE estão de parabéns, souberam ouvir, reflectir, separar o trigo do joio e escolher em consciência, apesar dos fantasmas trazidos para assombrar os mais incautos.

Com todo o respeito, não podemos deixar de criticar e analisar, quando o fazem comigo devo a mim própria esse compromisso de perceber a posição do outro. Assim sendo, foram apresentadas duas propostas, expostos os argumentos e apresentados os
elementos das mesmas. Os presentes votaram e os resultados deram a vitória por larga maioria a uma lista que aguarda ratificação, na qual votei e da qual faço parte.

O futuro dirá mais coisas.

Uma certeza: a democracia funciona.

Sónia Cristina Patrocínio Gonçalo Ribeiro, 43 anos, é coordenadora da concelhia de Guimarães do Bloco de Esquerda, membro da distrital do BE e presidente do CESMINHO- Sindicato do Comércio Escritórios e Serviços do Minho.