Festival Húmus: Lídia Jorge é a convidada desta quinta-feira

Lídia Jorge é a convidada para a iniciativa “Escritor no concelho”, integrada no Festival Literário Húmus, que decorre durante este ano em Guimarães. A conversa está marcada para hoje, 10, pelas 18h00, na Biblioteca Raul Brandão.

Da sua vasta obra destacam-se os romances “O Dia dos Prodígios” (1980), “O Cais das Merendas” (1982), “Notícia da Cidade Silvestre” (1984), os dois últimos distinguidos com o Prémio Cidade de Lisboa, “A Costa dos Murmúrios” (1988), e “O Jardim sem Limites” (1995), distinguido com o Prémio Bordallo de Literatura da Casa da Imprensa.

“O Vale da Paixão” (1998) recebeu cinco prémios: Dom Dinis, Bordallo, Ficção do PEN Clube, Máxima de Literatura e o Prémio Jean Monet de Literatura Europeia – Escritor Europeu do Ano, tendo sido ainda finalista do International IMPAC Dublin Literary Award 2003. O seu romance “O Vento Assobiando nas Gruas” (2002) conquistou o Grande Prémio de Romance e Novela da APE e o Prémio Literário Correntes d’Escritas, e o romance “Combateremos a Sombra” o Prémio Charles Bisset (2008).

Pelo conjunto da sua obra, que se encontra traduzida em muitas línguas e países, foi vencedora do prestigiado prémio da Fundação Günter Grass, na Alemanha, ALBATROS (2006) e do Grande Prémio Sociedade Portuguesa de Autores – Millennium BCP. Em 2011, foi distinguida com o Prémio da Latinidade João Neves da Fontoura e, em 2013, a prestigiada revista francesa “Le Magazine Littéraire” incluiu Lídia Jorge entre “10 grandes vozes da literatura estrangeira”. Em 2014, recebeu o Prémio Luso-Espanhol de Arte e Cultura e, em 2015, o Prémio Urbano Tavares Rodrigues e o Prémio Vergílio Ferreira.

Foto: Duas Caras