Estudos clínicos pagaram um terço da Unidade de Cuidados Intensivos Cardíacos que PR inaugura hoje

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, inaugura este sábado, 26, uma Unidade de Cuidados Intensivos Cardíacos renovada. As obras decorreram durante este ano depois de o projeto ter recebido um financiamento Programa EDP Solidária Saúde 2015 no valor de 170 mil euros. Foi o Hospital Senhora da Oliveira que, através dos estudos clínicos desenvolvidos nesta área, pagou um terço dos 250 mil euros que a remodelação dos UCIC custou.

A verba a suportar pelo Hospital resulta de fundos conseguidos pela via da realização de estudos clínicos nesta área, tendo sido decisão do Hospital e do Serviço de Cardiologia direcionar estes valores para a valorização e melhoramento do serviço”, lê-se no comunicado do HSO. A renovada UCIC terá uma sala única com oito camas, que tem a pretensão de ser “mais funcional na eficácia e no aproveitamento dos recursos humanos médicos e de enfermagem”, criando “a possibilidade de monitorização invasiva da totalidade de doentes da Unidade e ainda criar a possibilidade de monitorizar por telemetria todos os doentes internados no Serviço de Cardiologia”.

E porque a sociedade civil tem sido reconhecida como pedra basilar para o desenvolvimento do Hospital Senhora da Oliveira, pela ocasião da visita do PR ao Hospital de Guimarães vai ser homenageado Fernando Alberto por ter tido “um papel essencial na decisão de construção das atuais instalações do Hospital da Senhora da Oliveira, enquanto ocupava o cargo de governador civil de Braga, na década de 80 do século passado”. Até à atualidade, o histórico advogado vimaranense manteve uma ligação estreita ao Hospital ao longo dos anos, foi também, recentemente, presidente do Conselho Consultivo.

Exposição MEDICINA E ARTE, lugar de partilha

É inaugurada este sábado a exposição de obras da coleção da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento (FLAD) e estará no Hospital até final do corrente ano, com entrada livre. O programa “FLAD Arte em Movimento” tem como objetivo principal expor obras da sua coleção de arte contemporânea em contextos e espaços que acolhem públicos diversificados. Sob o título “MEDICINA E ARTE, lugar de partilha”, a exposição desenvolve-se por diversos locais do Hospital projetado pelo arquiteto Celestino de Castro, procurando uma relação estética mais estreita entre o lugar e a arquitetura que acolhe diariamente os seus utentes.

Foto: Direitos Reservados