Os plantéis do Vitória à lupa

A partir desta semana, irei tentar efetuar uma radiografia aos plantéis do Vitória, desde a tomada de posse do atual presidente Júlio Mendes até ao presente.

Começamos pela época de 2012/2013, primeira época em que o Vitória apresenta equipa B.

Inscreveu na Liga de Futebol Profissional 58 jogadores, sendo 6 guarda-redes, 17 defesas, 19 médios e 16 avançados. Entre jogadores que estiveram emprestados, que fomos contratar a outros clubes e que vieram do escalão de juniores, são no total 46, só 8 restaram da época anterior.

Deste lote de jogadores tivemos 5 emprestados, 3 dos quais saíram em Janeiro de 2013 (dois do Chelsea e um do Sporting), inscrevemos 15 jogadores que tinham vindo das camadas jovens e que estavam emprestados a outros clubes e 8 jogadores que vieram dos juniores.

Em Setembro de 2012 o Vitória vendeu o Bruno Teles e em Dezembro de 2012 rescindiram amigavelmente os seus contratos os jogadores Rodrigo Defendi e Marcelo Toscano, ficando em Janeiro de 2013, com 52 jogadores.

No mês de Março de 2013 e indo ao engano pelo seu empresário, rescindiram o contrato por falta de pagamento, os jogadores KáKá, Vítor Bastos e Rafa, que acabaram por não terem grande sorte.

Este primeiro ano da equipa B não correu bem pois descemos para o Campeonato Nacional de Seniores, estando lá apenas uma época, pois subimos novamente à 2ª. Liga.

Nesta época ficamos no 9º. lugar do campeonato da Liga Sagres, tendo feito 40 pontos, sendo que 20 foram conquistados na 1ª. volta e os restantes 20 na 2ª. volta.

A média da idade dos jogadores utilizados pelo Vitória neste campeonato foi de 23,69 anos.

O Vitória pagou de multas à Liga, referentes aos jogos da equipa principal, por mau comportamento do público o valor de 65.454 euros. Esta época também ficou marcada pela negativa, pois fizemos 3 jogos à porta fechada, 1 da equipa A e 2 da equipa B.

Esta época, que foi instável em termos financeiros, pois as rescisões amigáveis foram feitas para reduzir aos custos do plantel, descemos de divisão na equipa B, mas, com os jovens que fomos forçados a utilizar, conquistamos um grande troféu nacional, a Taça de Portugal, o maior feito desportivo do Vitória a nível nacional.

Houve 5 jogadores que não efetuaram qualquer jogo, são eles: Miguel Palha, Safwan, Muhnnad, Omar e Housem. Quem são estes jogadores? Miguel Palha é guarda-redes e embora inscrito no plantel profissional fez 7 jogos pelos juniores. Safwan, Muhnnad e Omar vieram da Arábia Saudita e Housem  veio da Tunísia, mas que nunca se percebeu para que foram feitas estas aquisições.

Secundino Rodrigues, 63 anos, é reformado da profissão de empregado administrativo. Sócio do Vitória com o número 1.104, gosta de verter a sua paixão pelos números na análise dos resultados do seu clube. Escreve à quarta-feira.