Os plantéis do Vitória à lupa

Hoje irei falar da segunda época da era do presidente Júlio Mendes. O treinador Rui Vitória continua pela terceira época consecutiva.

Na época de 2013/2014, a equipa B do Vitória jogou no Campeonato Nacional de Seniores. Foram inscritos 52 jogadores na Liga de Futebol Profissional, sendo seis guarda-redes, 16 defesas, 17 médios e 13 avançados.

Deste lote de jogadores tivemos dois emprestados, um saiu em Janeiro de 2014 (o famoso Abdoulaye) e inscrevemos três jogadores que vieram dos juniores.

Nesta época inscrevemos 22 novos jogadores e, em relação ao plantel do ano anterior, foram embora 27, sendo certo que, deste lote, seis foram vendidos. Restaram da época anterior 30 jogadores, o que quer dizer que melhorámos em relação à época passada.

Em Janeiro de 2014, saíram seis jogadores, sendo eles: o Abdoulaye e, por rescisão de contrato, o Jean Pablo, o Leandro Freire, o Nita, o Diogo Lamelas e o Rafael, tendo o plantel sido reduzido a 46 jogadores.

A equipa B subiu à 2ª. Liga, passando um só ano no Campeonato Nacional de Seniores, facto que foi muito importante para o Vitória. Nessa época ficamos no 10º. lugar do campeonato da Liga Sagres, tendo feito 35 pontos, sendo que 23 foram conquistados na 1ª. volta e os restantes 12 na 2ª. volta.

A média da idade dos jogadores utilizados pelo Vitória neste campeonato foi de 24,64 anos.

O Vitória pagou de multas à Liga, referentes aos jogos da equipa principal, por mau comportamento do público o valor de 36.747 euros.

Houve seis jogadores que efetuaram poucos jogos. O Miguel Palha voltou a não efetuar qualquer jogo na equipa B, jogando sete vezes na equipa júnior, o João Miguel fez um jogo pela equipa B e 11 jogos pela equipa júnior, o Dinis só efetuou três jogos, pois esteve lesionado grande período da época e o Rafael fez dois jogos e o Diogo Lamelas efetuou quatro jogos, razão pela qual o Vitória rescindiu o contrato com ambos estes jogadores.

Em relação à época anterior a 2013/2014, descemos um lugar na classificação, mas em termos financeiros reduzimos o valor do nosso passivo, pois vendemos jogadores que tinham sido dos mais utilizados na época passada.

Secundino Rodrigues, 63 anos, é reformado da profissão de empregado administrativo. Sócio do Vitória com o número 1.104, gosta de verter a sua paixão pelos números na análise dos resultados do seu clube. Escreve à quarta-feira.