Contas de fim do campeonato

Acabou o campeonato e o Vitória obteve o 4º. Lugar. Nesta época o Vitória utilizou 33 jogadores, sendo certo que, três foram emprestados no início da época, (Alex, Areias e Valente); cinco vieram da equipa B e voltaram à mesma (Alex Pinto, Bruno Mendes, Joseph, Sacko e Vigário); Todos estes jogadores alinharam num jogo ou em dois jogos. Também saíram em Janeiro, o Soares e o João Pedro, que realizaram 16 e 17 jogos, respetivamente.

Restaram 23 jogadores que foram utilizados da seguinte forma:

– Até 5 jogos – Miguel Silva, Moreno e Xande Silva.

– Até 10 jogos – Prince, Rafael Miranda e Sturgeon.

– Até 15 jogos – Cellis, Rúben Ferreira e Tozé.

– Até 20 jogos – Rafael Martins, Texeira e Zungu.

– Até 25 jogos – Bernard e Konan.

– Mais de 25 jogos – Douglas, Bruno Gaspar, Hernâni, Hurtado, João Aurélio, Josué, Marega, Pedro Henrique e Raphinha.

Depois de analisarmos todos os jogos verificamos que os jogadores mais utilizados formavam o seguinte onze: Douglas, Bruno Gaspar, Pedro Henrique, Josué e Konan, João Aurélio, Bernard e Hurtado, Hernâni, Marega e Raphinha.

Relativamente aos últimos jogos e me parecendo ser a melhor equipa do Vitória, teríamos de colocar Zungu e Rafael Miranda no meio campo e Texeira na frente de ataque.

Pedro Martins repetiu a mesma equipa em cinco jornadas e utilizou a mesma equipa, uma só vez, em três jornadas seguidas. Nas restantes 21 jornadas utilizou sempre equipas diferentes, embora não fossem muito diferentes, pois pela utilização total de cada jogador, saiam um ou dois, por lesão ou por castigo.

O setor que menos vezes foi alterado foi a defesa, pois realizamos 14 jogos com o mesmo 5 (Douglas, Bruno Gaspar, Pedro Henrique, Josué e Konan) e oito jogos com o mesmo cinco (Douglas, Bruno Gaspar, Pedro Henrique, Josué e Ruben Ferreira). O primeiro grupo sofreu 12 golos (média de 0,86 golo/jogo) e o segundo grupo sofreu oito golos (média de 1 golo/jogo).

Finalmente tivemos duas voltas muito semelhantes, assim marcamos 27 golos na 1ª. volta e 23 na 2ª. volta, sofremos 19 golos na 1ª. volta e 20 golos na 2ª. volta e conquistamos 31 pontos na 1ª. volta e igual número na 2ª. volta.

Este ano matamos o borrego que tinha pelo menos quatro anos, relativamente a realizar uma 2ª. volta igual à 1ª. volta, que veio contrariar um comentário feito por mim, pois era a regra. Ainda bem para nós, VITORIANOS.

Secundino Rodrigues, 63 anos, é reformado da profissão de empregado administrativo. Sócio do Vitória com o número 1.104, gosta de verter a sua paixão pelos números na análise dos resultados do seu clube. Escreve à quarta-feira.