Oito histórias de violência sobem hoje ao palco do CCVF com a peça “Meu amor, dói!”

A peça de teatro “Meu amor, doí!”, do Projeto Tabu, com encenação de Marcela Fernandes, sobre ao palco do Pequeno Auditório do Centro Cultural Vila Flor esta sexta-feira, 28, pelas 21h30.

gemeas

Depois de percorrer várias freguesias do concelho de Guimarães, a peça de teatro “Meu amor, dói!”, chega agora ao Vila Flor. O evento tem entrada gratuita mas está sujeito à aquisição de bilhete, que pode ser feita na bilheteira do Centro Cultural Vila Flor.

O projeto Tabu, do qual deriva a peça “Meu amor, dói”, foi submetida ao Orçamento Participativo em 2013, foi a votos e aceite. A peça teve boa receção e continua a ser abrangido pelo OP. Contudo, o grupo de teatro que trabalha para o Tabu! explora outras vertentes que não são abrangidas pela Câmara Municipal. Tudo começou com quatro histórias que foram agora alargadas a quatro narrativas.

A violência de género é um obstáculo à concretização dos objetivos da igualdade, desenvolvimento e paz, pois viola, dificulta e anula o gozo dos direitos humanos e das liberdades fundamentais. “Meu amor, dói!” é uma peça de teatro constítuida por oito monólogos baseados em relatos reais. O ambiente de todo o espetáculo é envolto num cenário metafórico que representa o limbo mental das personagens. A representação metafórica da problemática social que as personagens viveram significa expor abertamente todos os seus pensamentos sobre o que vivenciaram. As histórias, baseadas em relatos reais, funcionam como uma descarga eléctrica de realidade que suscitará no espectador um misto profundo de emoções.

gil-doce