Assembleia Municipal

Estamos menos de dois meses, do acto eleitoral, que vai eleger uma nova Assembleia Municipal (AM), composta por repetentes e novos deputados. O mandato que agora termina, marcado por variados episódios, decorreu com relativa normalidade, com a oposição manietada pela maioria absoluta do Partido Socialista, que nunca teve uma verdadeira abertura ao debate.

De entre as várias propostas, apresentadas pelo Bloco de Esquerda e, na sua grande maioria, ignoradas ou chumbadas em votação, sobressaem duas que terão impacto diverso, quando postas em prática, surpreendentemente aprovadas na Assembleia.

Na primeira, foi proposto assinalar, com uma iniciativa municipal, o 30º aniversário da morte de Zeca Afonso, o grande poeta da Revolução de Abril. Zeca Afonso foi, é e continuará a ser, um dos maiores mensageiros da liberdade, através das suas baladas que eternizam no tempo. Continuamos a aguardar a realização do evento, esperando não caia no esquecimento.

A segunda, trata-se da aprovação, à segunda tentativa, da criação do Provedor do Munícipe. Perante as inúmeras queixas, chegadas à sede do Bloco de Esquerda, por parte de cidadãos que aguardam respostas, que tardam ou nunca chegam, sobre problemas, pessoais ou colectivos, um pouco por todo o concelho.

Situações que nos são assinaladas, até por cartas anónimas, indiciam situações de promiscuidade, compadrio, favorecimento, discriminação e abusos de poder, desde o executivo até ao complexo quadro de funcionários. A entidade a criar, irá providenciar uma aproximação entre o munícipe e o município, sem temor pelas, várias vezes assinaladas, represálias.

Com o aparecimento do Sr. Provedor, não haverá o receio de aparecer e questionar o executivo municipal, por parte dos cidadãos vimaranenses.

Estas propostas, aprovadas no último ano do mandato, que agora termina, tem de ser levadas a cabo, por este ou pelo próximo executivo.

O Bloco de Esquerda, tal como a população, cada vez mais informada, estará atento e, ao menor sinal de esquecimento, não deixará de o denunciar.

Joaquim Teixeira é deputado pelo Bloco de Esquerda na Assembleia Municipal de Guimarães. É sócio-fundador e atual tesoureiro da associação NCulturas.
Por decisão pessoal, o autor do texto não escreve segundo o novo Acordo Ortográfico.