Eleições do Vitória: “Legitimação de um trabalho que começou há seis anos” – Júlio Mendes

comercio de Guimaraes FA

Reeleito para um terceiro mandato, com 52% dos votos válidos nas eleições mais participadas da história do clube, o vencedor do sufrágio realçou que o trabalho levado a cabo pela sua direção desde 2012 foi reconhecido pelos sócios, apesar de reconhecer que é preciso “interpretar o sinal” dado pela escassa margem.

Por Tiago Mendes Dias

Face a pouco mais de uma centena de vitorianos, Júlio Mendes fez um breve discurso de arranque do terceiro mandato à frente dos destinos do maior emblema do concelho, onde enalteceu a preferência dos sócios pela “continuidade” e pela “estabilidade”, tendo referido, antes, aos jornalistas, que, apesar da curta margem de vitória necessitar de reflexão, os sócios vitorianos reconheceram o que tem sido feito pelo clube nos últimos seis anos.

“[A vitória] representa a legitimação de um trabalho que começou há seis anos, com um trabalho muito difícil. Eu dizia que os vitorianos têm memória e perceberam que há um trabalho que nos está a fazer crescer”

Com mais 598 votos comparativamente à primeira ocasião em que foi eleito, em 2012, contra Pinto Brasil, o rosto do movimento Contigo Vitória realçou que a sua equipa vai ter novamente a “responsabilidade de gerir os destinos do Vitória”, após um triunfo eleitoral por uma diferença de 342 votos que, a seu ver, se deve sobretudo aos resultados da época da equipa de futebol, mais vai-o obrigar a refletir.

“Representa, no nosso clube do coração, que há sempre um impacto muito grande quando os resultados não são compatíveis com a grandeza do clube. Acho que houve um impacto que tem a ver com esta diferença, que terá a ver com outros aspetos”, sugeriu.

Para o presidente reconduzido, o fim deste processo eleitoral significa que é altura dos vitorianos se unirem em torno de um “clube que vai continuar a ser de todos” e que “não vai estar à disposição de ninguém para que tome posse” como se fosse “uma mercadoria”.

“Estou convencido que, a partir de hoje, acabaram-se as lutas eleitorais, as guerras entre candidatos. Agora, só há uma coisa que nos une a todos, o Vitória Sport Clube. Espero com a minha equipa o Vitória continue a ser um clube europeu, que disputa finais da Taça [de Portugal]”, disse o vencedor da noite, além de se ter mostrado disponível a contar com os elementos do ‘Novo Vitória’ para “construir um Vitória maior”.

Foto: Facebook Contigo Vitória

 

comercio de Guimaraes FA