Retorno!

Entre o fim de Agosto e princípio de Setembro, assistimos ao ajustamento da vida dos portugueses, com regresso ao trabalho, dos campeonatos de futebol e, consequentemente, dos comentadores, prontos a dar os veredictos, sobre o mais pequeno incidente.

Tivemos, nos últimos meses, campeões da Europa e do Mundo, em diversas modalidades, mas que importância tem um título em canoagem, comparado com a derrota do Porto perante o “Bitória”, mesmo sem “BAR”, durante meia hora!?

Está bem! Tivemos uma tal Cabecinha, campeã do mundo nos cinquenta quilómetros marcha? E o que é isso, comparado com a vitória do Feirense em Guimarães!?

E os nossos paralímpicos, com aquele molho de medalhas, o Nélson Évora e mais aqueles dos chutos e pontapés? Não são esses da música, são os do “Takaindo” ou lá o que seja.
A custo, alguns vão reconhecendo que há excesso de futebol, nas televisões, rádios e jornais desportivos, em detrimento de outras modalidades e outros assuntos, com mais influência na vida das pessoas.

O PSD, cujo líder não gosta de “Rentrée”, preferindo, talvez, o cozido à portuguesa, juntou umas centenas no meio de eucaliptal (vá-se lá saber porquê) e lançou piropos ao PS, numa clara atitude “namoriscadeira”.

O PS foi de comboio para Caminha, cuja Câmara é presidida pelo nosso conhecido Miguel Alves, e de lá continuou a piscar à esquerda, mas todos sabemos que está, pelo menos uma boa parte do partido, mortinho por virar à direita.

No próximo fim-de-semana, realizar-se-á a já tradicional Festa do Avante e, como é de tradição, haverá política, cultura e divertimento.

Do CDS sabe-se que andou às voltinhas de comboio e, no fim da viagem, parou para tentar descobrir como é que, de tantos tiros que disparou, na direcção das esquerdas encostadas, todos lhes foram ter aos pés. Acho que ainda andam a fazer contas.

Sem querer ser faccioso ou juiz em causa própria, não resisto em considerar que, se há quem faz uma reentrada a sério, esse é o Bloco de Esquerda.

No fim-de-semana que ligou os meses de Agosto e Setembro, realizou-se o fórum “Socialismo 2018”. Debates de vários temas, convidados de diversos quadrantes políticos, culturais e sociais, oriundos de muitos lados, inclusive do estrangeiro.

Este ano e mais uma vez, houve um convidado especial que, cá como noutro sítio qualquer, não deixa ninguém indiferente: O cantor José Mário Branco, um homem de todas as gerações e que o 25 de Abril nunca esquecerá.

Em Setembro dar-se-á o início do fim da presente legislatura, na qual se recuperou boa parte do que foi tirado aos portugueses, causando sofrimento a quem não tinha culpa de nada, enquanto os causadores da desgraça continuavam a viver à grande.

O povo vai percebendo que, com a esquerda reforçada, os bancarroteiros e outros compadres, não terão a vida tão facilitada.

Joaquim Teixeira é militante do Bloco de Esquerda e é sócio-fundador e atual tesoureiro da associação NCulturas.
Por decisão pessoal, o autor do texto não escreve segundo o novo Acordo Ortográfico.