O Vitória Sport Clube nasceu sem data marcada e sem certidão de nascimento [CORRIGIDO]

LJ-CC-AS100-2

“1922, ano da fundação”. Assim começa uma das muitas canções de apoio ao Vitória. Presente em quase todos os nossos equipamentos, em imenso merchandising e orgulhosamente escrito no estádio, o ano de 1922 é conhecido oficialmente como o ano da fundação do Vitória Sport Clube e o dia 22 de setembro como o dia de aniversário, mas a realidade é que se investigarmos um pouco nos apercebemos que as informações relativas à fundação do Vitória são um pouco contraditórias.

A ideia de que 1922 é a data de filiação à Associação de Futebol de Braga e não da criação do Vitória per se sempre foi uma daquelas coisas que se falou em Guimarães, mas sobre a qual nunca me tinha debruçado muito.

Penso que não sobram qualquer tipo de dúvidas sobre o local de nascimento do Vitória Sport Clube: esta aconteceu durante uma das “Tertúlias da Chapelaria Macedo” que ocorriam em domingos e feriados na loja do nosso primeiro Presidente, António Macedo Guimarães.

António Macedo Guimarães era o dono da Chapelaria Macedo que se ficava nas duas primeiras portas do atual Café Milenário (curiosamente mesmo ao lado da Torre da Alfândega que anos mais tarde passaria a ser um dos monumentos da cidade devido à celebre frase “Aqui Nasceu Portugal”). Quem diria que ali mesmo ao lado do local que mostra ao mundo que Portugal nasceu em Guimarães havia sido no início do século XX o berço do clube das nossas vidas?

As “Tertúlias da Chapelaria Macedo eram a principal fonte de informação sobre o futebol, o novo jogo da bola que se começava a implementar em Portugal e que hoje conhecemos como o desporto Rei. Naqueles tempos, António Macedo Guimarães era um expert no assunto e usava os seus tempos livres para partilhar com os jovens vimaranenses os conhecimentos que tinha sobre o jogo da bola que os estudantes tanto gostavam de praticar.

Há quem aponte a fundação do clube para 1913. Sabemos que as origens do Vitória estão num grupo de jovens estudantes de Guimarães que adoravam praticar o novo jogo da bola que se tornava popular na Europa. A existência de um grupo informal e não filiado de jovens vimaranenses que jogavam futebol no Campo da Atouguia e que em 1918 deu o nome atual de Vitória Sport Clube à sua equipa é apontada por alguns investigadores como a verdadeira data da fundação do clube, contudo (e considerando que se tratava de um grupo informal) a informação sobre esta época é escassa e pode ser bastante questionável.

Em semana de aniversário e com muito borborinho sobre o que acontecerá no tão ansiado centenário, tentei encontrar respostas sobre a data de fundação do nosso clube. Depois de muita pesquisa e poucas respostas deparei-me com um artigo extraordinário que me fez refletir sobre qual será afinal a data de fundação do Vitória Sport.

Considerando que 22 de setembro de 1922 calhou numa sexta-feira, torna-se pouco provável que o Vitória tenha sido fundado nesse dia. Sexta é dia de trabalho e parece um pouco improvável que o grupo que viria a fundar o Vitória se tenha reunido na Chapelaria Macedo nesse dia.

De acordo com o artigo “Aqui nasceu o Vitória Sport Clube” do blog Memórias de Araduca “temos duas datas possíveis: 23 de Setembro, informação de 1934, e 5 de Outubro, indicação de 1924. Tendo como certa a informação, universalmente aceite, de que o Vitória foi fundado pelo grupo da Chapelaria Macedo, 23 de setembro, pelo que se viu, será data a descartar, por pouco verosímil. Fica a sobrar 5 de outubro, por ser feriado, por ser a informação com origem temporal mais próxima da data do acontecimento e, pormenor não de somenos, por ter sido o dia em que os fundadores do clube assinalaram a efeméride, em 1924.”

Nesse mesmo artigo, ficamos a saber que a celebração do aniversário da fundação do Vitória não era tradição em Guimarães. Era algo que ocorria em anos muito específicos como a celebração das bodas de prata, em 1947, e as bodas de ouro, em 1972. Analisando os programas dessas festas, é facilmente percetível que as celebrações ocorreram em meados de outubro desses anos.

Recuando no tempo, no programa de celebração divulgado pela imprensa em 1934, é possível ler “que naquele domingo, 23 de setembro de 1934, passavam odoze anos sobre o dia em que o Vitória iniciou a sua vida”, pode ler-se no artigo referido.

A primeira referência à celebração do aniversário do clube é de 1924. A informação aparece no jornal A Razão onde se noticia um jantar de confraternização para comemorar o 2.º aniversário da fundação do “Vitória Sport Club”.: “Na Penha realiza-se, no próximo domingo, um jantar de confraternização para comemorar o 2.º aniversário da fundação do “Vitória Sport Club” com um jantar de confraternização na Penha, no dia 5 de outubro”.  Considerando que 5 de outubro já era feriado, a possibilidade de ter sido dia de tertúlia na loja de Macedo Guimarães é plausível.

No mesmo artigo é dada uma terceira possibilidade que penso ser a mais aceite pela família vitoriana e que provavelmente é a que vai mais de encontro como o que realmente aconteceu: a de que “o processo de criação do Vitória teria resultado de uma ideia que germinou, cresceu e frutificou entre o final do Verão e o início do Outono de 1922, sem que seja possível fixar uma data de fundação precisa”. O Vitória Sport Clube nasceu sem data marcada e sem certidão de nascimento. Ou seja, sabemos quando nasceu o Vitória, mas não sabemos, e provavelmente nunca saberemos, o dia da sua fundação.

A História não é acerca de datas e locais. É acerca das pessoas que preenchem os espaços entre eles. Já lancei este repto várias vezes (e volto a fazê-lo aqui) para que seja escrita uma História oficial do Vitória Sport Clube. Não só dos seus locais e datas, não só dos jogadores que compunham a equipa a determinada altura ou dos seus resultados. Contemos a História maravilhosa deste povo que não sabe viver sem futebol. As Histórias de vida dos vimaranenses que se cruzam com as Histórias do Vitória.

[Editado a 25/09/2018, pelas 15h04]

Sandra Fernandes, 29 anos, é orgulhosamente Vimaranense, Vitoriana e Potterhead. O coração costuma falar mais alto do que a razão quando se trata do Vitória, mas vai tentar partilhar o que lhe vai na alma à segunda-feira.