Capivara Azul sugere: Viagem eletrónica num local mágico com Dullmea

É talvez a proposta mais arrojada do EGO, ciclo de programação de música que, desde o início do ano, vem sendo promovido pela Capivara Azul – Associação Cultural. O concerto de Outubro está a cargo de Dullmea, projecto eletrónico e experimental da compositora Sofia Faria, que se estreia em Guimarães. A viagem eletrónica acontece num local mágico: o claustro do Museu de Alberto Sampaio.

Dullmea faz música com a sua voz e um circuito electrónico de pedais, improvisando sobre estruturas e temas compostos por ela mesma. Minimalista e experimental por natureza, a sua música convida o ouvinte a uma participação atenta e activa, numa viagem sonora que invoca universos ora convencionais e familiares

A sua música propõe também uma reflexão sobre a riqueza da expressão simples e verdadeira e sobre a importância da vulnerabilidade no acto da comunicação. Num mundo migratório em que a comunicação é tida como um dado adquirido, o uso da linguagem não-verbal pode ser a solução para um diálogo mais profundo.

O projecto em que Sofia Faria trabalha há dois anos, depois de uma longa trajectória com passagens pela música clássica e contemporânea, o jazz e a composição para teatro, teve uma primeira apresentação em 2016, com o lançamento de Keter, e tem ganho cada vez maior atenção da crítica especializada. Dullmea chega a Guimarães depois de tocar, no fim-de-semana anterior, no LEM Festival em Barcelona. Ao longo do Verão, o projecto passou pelos festivais nacionais Saídos da Caixa, nas Caldas da Rainha, e Zigurfest em Lamego.

A música encantatória de Dullmea pedia um local a condizer e por isso o próximo concerto do EGO será realizado na capela de S. Brás, no interior do claustro do Museu de Alberto Sampaio. O museu nacional é co-organizador deste espetáculo. O acesso vai fazer-se pela porta do museu virada ao largo da Oliveira e a entrada neste concerto será, ao contrário do que acontece habitualmente neste ciclo, gratuita.

Dullmea é o décimo concerto do EGO e será a penúltima data deste ano do ciclo de programação promovido pela Capivara Azul – Associação Cultural. O encerramento de 2018 acontece no dia 23 de Novembro, num regresso ao Centro para os Assuntos da Arte e Arquitectura, que foi a casa dos primeiros concertos deste ano. Para final de temporada, propõe-se um concerto duplo e um regresso ao do rock alternativo, o território mais intensamente explorado, com Travo e Baleia Baleia Baleia.

Ao longo de 2018, o EGO tem o apoio da Câmara Municipal de Guimarães, através do Regulamento de Atribuição de Subsídios às Atividades das Entidades que Prossigam Fins Culturais, Artísticos, Recreativos ou Humanitários do Município de Guimarães. Tem como parceiros o Centro para os Assuntos da Arte e Arquitectura, Estúdio Lobo Mau, Cerveja Letra, Rádio Universitária do Minho e Headliner.

FOTO: José Caldeira