Polo Aquático: Vitória perde com Fluvial na final da Taça

O Vitória falhou a hipótese de vencer o primeiro título nacional na modalidade, ao perder com o Fluvial na final da Taça de Portugal por 14-11. A equipa treinada por João Pedro Santos averbou a primeira derrota de toda a época, num jogo equilibrado em que esteve sempre obrigada a correr atrás do prejuízo perante um adversário sólido defensivamente, que soube segurar a vantagem ao longo dos 32 minutos.

 

Não foi neste domingo que o Vitória alcançou o primeiro título em 16 anos de polo aquático. A formação vitoriana disputou a final da Taça de Portugal até praticamente ao último minuto, mas foi sempre incapaz de assumir a dianteira do marcador, perante um Fluvial que, defensivamente, se revelou um pouco mais forte: o Vitória teve quase sempre mais dificuldades em rematar à baliza do que os portuenses.

Num primeiro período onde ambos os guarda-redes se destacaram, o Fluvial marcou o primeiro golo do desafio nos dois primeiros minutos do jogo e terminou a primeira parcela de oito minutos a vencer por 2-1. Depois da equipa do Porto ter alargado a vantagem para 3-1 no arranque do segundo período, o Vitória respondeu e chegou ao empate a três golos. O Fluvial, porém, voltou a recuperar a vantagem e chegou ao intervalo na frente, por 5-4.

Depois de um terceiro período com poucos golos, que o Fluvial terminou a vencer por 7-6, o Vitória teve uma boa entrada no parcial decisivo, empatando o jogo a sete golos. A marcha do marcador prosseguiu com a mesma toada dos períodos anteriores até ao momento em que faltavam 04.40 minutos para o fim do jogo: o Fluvial repôs aí a vantagem de dois golos de que já usufruíra, com um golo de penálti (10-8).

Kincses Attila reduziu a desvantagem para 10-9 poucos segundos depois, mas o Fluvial aproveitou posteriormente duas bolas ao poste enviadas pelo Vitória e as falhas de marcação vimaranenses no lado esquerdo da sua defesa para alargar a vantagem para 12-9, a 02.12 minutos do apito final.

A partida ficou praticamente decidida nesse instante. O Vitória adiantou os seus jogadores e ainda encurtou a desvantagem para um golo de diferença (12-11), a 01.18 minutos do fim, mas a formação portuense aproveitou o balanceamento ofensivo dos vitorianos para marcar ainda mais dois golos e repetir assim a vitória da época passada na Taça de Portugal.