Cantar a Primavera! 

Duas caras banner copiar

Chico Buarque é o vencedor do Prémio Camões 2019, reconhecimento merecido por uma vida a escrever tão bem em português. No rescaldo da Revolução Portuguesa, do Brasil, mandou-nos palavras de apoio e de incentivo. “Foi bonita a festa, pá!” trazia o sentimento de alegria pelo muito de belo que nesse curto período foi possível avançar, de esperança na semente esquecida “em algum canto do jardim” e de apelo à solidariedade portuguesa para com a luta do povo brasileiro, no pedido por um “cheirinho de alecrim” que lhe matasse a carência.

E foi esse sentimento de alegria que marcou a campanha eleitoral da CDU para o Parlamento Europeu. Fomos muitos a sair à rua, fomos muitos a fazer os balanços necessários para que os portugueses fossem informados do trabalho dos eleitos, foram muitos os que deram a cara pelas propostas para o futuro. Um futuro numa Europa diferente à medida dos que acreditam ser possível dar mais força à CDU para que essa Europa possa ser construída.

Creio que é justo dizer publicamente, e este espaço permite-me essa abertura, que todos os candidatos da lista da CDU ao Parlamento Europeu estiveram na rua, envolveram-se de corpo e alma na campanha mais séria, mais coerente e mais esclarecedora.

Para além dos candidatos também gostaria de lembrar que foi muito importante a participação dos militantes dos partidos que compõe a coligação e de todos os independentes que nos acompanham nos valores e nas lutas diárias.

No entanto, mesmo depois de tanto envolvimento, tanta mobilização e de uma bonita festa, os resultados eleitorais não corresponderam à forma carinhosa como fomos recebidos um pouco por todo o país. Mas é assim a democracia, com resultados menos bons hoje e melhores amanhã. 

O importante é não desanimar, é não baixar os braços, é receber os pedidos de ajuda no dia seguinte e não perguntar em quem votou, porque essa não é a nossa essência. Voltamos para a rua, voltamos para junto das populações e garantimos que os deputados eleitos, João Ferreira e Sandra Pereira, garantirão que ninguém se arrependerá de ter dado o seu voto à CDU. 

A determinação do PEV e do PCP em continuar as lutas pela conquista de direitos, pela justiça, pela igualdade e pelo ambiente mantém-se. A determinação dos Verdes é continuar o caminho da mitigação das Alterações Climáticas, tema trazido para a AR pela mão do PEV há muitos anos, que só pode ser feito com propostas sérias de investimento nos transportes públicos, com a promoção da produção e do consumo local diminuindo a pegada ecológica, com a determinação em conservação e preservação da Natureza e da Biodiversidade.

As lutas são muitas, a determinação é a mesma que nos reconhecem, e os perigos espreitam. A privatização da água é uma ameaça, a necessidade de uma floresta autóctone que permite a prevenção de fogos florestais continua a tardar, a descarbonização da sociedade e da economia não acontecerá da noite para o dia e por isso são urgentes outras opções políticas.

Termino agradecendo a todos os que confiaram o seu voto na CDU pela primeira vez, não será um voto desperdiçado. Continuaremos a trabalhar para que haja justiça social e dessa forma se consiga atingir a tão desejada justiça ambiental para que as gerações mais novas não recebam como herança um planeta sem futuro.

Porque nós sabemos, como o Chico, “o quanto é preciso, pá, navegar, navegar”, continuaremos, pá, a “cantar a primavera”.

Mariana Silva, 36 anos, licenciada em Estudos Portugueses e Lusófonos, na Universidade do Minho. É eleita na Assembleia Municipal de Guimarães desde 2009, eleita na Assembleia da União de Freguesias Oliveira do Castelo, São Paio e São Sebastião desde 2013 e membro do Conselho Nacional do Partido Ecologista “Os Verdes”.
Por decisão pessoal, a autora do texto não escreve segundo o novo Acordo Ortográfico.