Jogadores emprestados são responsáveis por quase 75% dos golos do Vitória

O campeonato está “parado” por força dos jogos das seleções. Altura ideal para apresentar alguns dados que andei a compilar sobre o nosso Vitória.

Em relação à época anterior (2015/2016), o Vitória apresenta melhores resultados, assim: está no 5º. lugar contra o 8º. lugar, marcou 38 golos e sofreu 29 golos, contra 35 golos marcados e 39 golos sofridos.  Com estes números o Vitória é o 4º. melhor ataque e a 10ª. melhor defesa, querendo isto dizer que o sector defensivo tem estado pior.

Os marcadores dos golos foram: Marega (12); Soares (7); Hernâni (5); Rafinha e Hurtado (3 cada); Texeira e Rafael Martins (2 cada) e João Pedro, Josué, e Rafael Miranda (1 cada) e um jogador do Paços de Ferreira na própria baliza.

Dos 38 golos marcados pelo Vitória, 13 golos tiveram lugar nas 1ªs. partes dos jogos e 25 golos nas 2ªs. partes. Os períodos de jogo que deram mais golos ao Vitória foram nos primeiros vinte minutos (10 golos) e nos vinte minutos entre os 60 e 80 minutos de jogo (17 golos).

Face a este dados há uma situação que deve preocupar os vitorianos, pois 71,05% dos golos foram obtidos por jogadores que estão emprestados (Marega, Hernâni e  Hurtado) e por um que já saiu (Soares). Estes números devem também preocupar e muito quem dirige o Vitória.

Relativamente à disciplina, os jogadores do Vitória foram admoestados com 63 cartões amarelos, 2 duplos amarelos e 2 vermelhos diretos. Nesta classificação estamos no 11º. lugar. O árbitro que mais mostrou cartões a jogadores do Vitória foi Tiago Martins, com uma média de 4,67/jogo, sendo este o “artista” do jogo com o Estoril.

As árbitros que dirigiram mais jogos do Vitória foram Fábio Veríssimo (4), Hugo Miguel (3), Jorge Sousa (3) e Carlos Xistra (3). Foi com Fábio Veríssimo que conseguimos os melhores resultados, 3 vitórias e 1 empate, e com Jorge Sousa os piores resultados, 2 empates e 1 derrota.

Outra curiosidade, os jogadores com mais minutos em campo foram: Pedrão (2.820); Josué (2.730); Bruno Gaspar (2.289); Douglas (2.160): Hurtado (2.139); Soares (1.955); Raphinha (1.868); Marega (1.810); João Aurélio (1.783); Hernâni (1.778); João Pedro (1.604) e Konan (1.530). De salientar que neste grupo de 12 atletas temos cinco defesas e que, destes, há dois que não foram penalizados com qualquer cartão, o Pedrão e o Konan. É obra!

Secundino Rodrigues, 63 anos, é reformado da profissão de empregado administrativo. Sócio do Vitória com o número 1.104, gosta de verter a sua paixão pelos números na análise dos resultados do seu clube. Escreve à quarta-feira.