Laboratório da Paisagem negociou evento com entidade sem existência formal

O Laboratório da Paisagem negociou o evento musical da Green Week quando os promotores do evento ainda não tinham existência formal. A associação, da qual a Câmara de Guimarães é uma das constituintes, explica que negociou com os promotores do evento desde setembro de 2016, numa altura em que a empresa à qual adjudicou, mais tarde, por ajuste direto, 22.500 euros, ainda nem sequer tinha sido constituída.

gemeas

Por e-mail, o Laboratório da Paisagem explicou ao Duas Caras que “este é um projeto que vem desde setembro de 2016, apresentado e discutido pelos seus autores e promotores em diversas reuniões de discussão e que, por respeito à propriedade intelectual do mesmo, a parceria estipulada foi mantida até ao final”. Só que a Loft 056, a quem foi adjudicado o evento por ajuste direto, só foi constituída a 24 de fevereiro de 2017, o que quer dizer que esta associação negociou o evento que tem um cariz anual durante seis meses com uma entidade ainda não formalmente constituída.

O evento musical do Green Week foi adjudicado pelo valor de 22.500 euros, um orçamento consideravelmente superior a outros do género como é o caso do Mucho Flow (que recebe apoio camarário de 10.000 euros) ou Suave Fest (que recebe apoio municipal de 7.500 euros). Valor que o Laboratório da Paisagem explica como sendo o “orçamentado do cachet das bandas que atuaram, a logística, o alojamento, alimentação, o catering e outros serviços prestados de custos indiretos com comunicações, seguros, viagens, entre outros, devidamente justificados e documentados”. Quanto à comparação, o Laboratório da Paisagem diz desconhecer “os eventos que compara”, realçando que “não são similares, para além de disporem de patrocinadores”.

Questionado sobre o facto de a empresa estar fora do âmbito da organização de eventos musicais – na publicação on-line do acto societário no Portal da Justiça dá conta que a Loft 056 dedica-se à “atividade de ginásio e fitness, actividades de saúde humana, prestação de serviços de enfermagem, fisioterapia e nutrição, exploração de café, snack-bar e take away, organização de eventos, feiras e congressos” -, o Laboratório da Paisagem responde que “de que consta [na atividade da empresa], organização de eventos”. Argumenta ainda que “a empresa pertence aos autores do projeto”, desconhecendo “o início da sua atividade, sendo que cumprem com as condições legais exigidas”.

O Laboratório da Paisagem é uma associação sem fins lucrativos e de natureza privada, cujos sócios constituintes são o Município de Guimarães, a Universidade do Minho e a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. É no Laboratório da Paisagem que está sediada a Estrutura de Missão da Candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia e, nesse âmbito, é responsável pela promoção de eventos como a Green Week.

gil-doce

No evento registaram-se ainda alguns atrasos – por exemplo no dia 03 de junho, o concerto agendado para as 17h30 começou às 19h00, atrasando os subsequentes –, mas o Laboratório da Paisagem ressalva que “tudo correu como previsto e todas as bandas atuaram e cumpriram com o combinado”.

Texto: Catarina Castro Abreu