Condecorações do 24 de Junho: Gama Brandão

 

Medalha Municipal de Mérito Social

Reside em Guimarães desde 1961, há cinquenta e seis anos. Licenciado pela Faculdade de Medicina do Porto fez o seu estágio no Hospital de crianças D. Estefânia em Lisboa e, após ter sido aprovado como especialista em pediatria, veio viver para Guimarães, onde iniciou uma clínica privada que, ao longo dos anos, acompanhou e assistiu um grande número de crianças vimaranenses e dos concelhos próximos.

Nos anos 1960, verificando que, apesar de se registar em Guimarães uma taxa de mortalidade infantil muito superior á media do país, já por si muito elevada, o Hospital da Misericórdia não dispunha de qualquer serviço de internamento e de consulta externa de crianças, António Gama Brandão ofereceu ao Hospital os seus serviços, a título gratuito, para criação de uma consulta externa de pediatria, que de imediato teve enorme procura, o que deu fundamento á sua solicitação para que os serviços Médico Sociais abrissem uma vaga pediatria.

Empenhou-se pessoalmente com inúmeras diligências junto das instituições locais e da Administração Central para a instalação no Hospital de um moderno serviço de pediatria, vindo a ser nomeado, por concurso, como seu primeiro diretor. Exerceu essa função durante mais de quarenta anos, até á sua aposentação.

Igualmente se empenhou na criação de uma Unidade de Neonatologia dado o elevado número de partos realizados na Maternidade hospitalar.

Dinamizou, no Hospital, a realização de um conjunto de palestras sobre práticas clínicas, convidando professores catedráticos das Faculdades de Medicina e dos Hospitais centrais.

Para além de uma imensa atividade profissional, ao longo da qual sempre lhe foi reconhecida uma invulgar capacidade de liderança, António Gama Brandão desenvolveu outras destacadas intervenções na vida cívica vimaranense, quer em associações, quer na imprensa local, quer como escritor.

Nas associações deverá ser relevada a sua ação no Lions Clube onde, logo nos anos 1970, dinamizou a “campanha do leite”, pioneira em Portugal, que distribuiu leite aos 3000 alunos que frequentavam o ensino primário em Guimarães, numa época em que beber leite não era comum.

Na “Assembleia de Guimarães”, onde foi diretor para as atividades culturais, foi o dinamizador de conferências e exposições de arte que deslocaram a Guimarães prestigiadas personalidades para debaterem temas da atualidade política e social.

Nos semanários “Notícias de Guimarães” e “Povo de Guimarães” publicou dezenas de textos sobre sociedade e cultura.

Ao longo de mais de cinquenta anos, o seu concelho e a sua visão foram marcantes na formação da opinião pública e das lideranças locais. Continua a integrar, desde há vários anos, o Conselho Consultivo do Hospital Nossa Senhora da Oliveira.

in Prospeto distribuído por ocasião da Sessão Solene de 24 de junho

ipsis-verbis