Casuals estiveram na origem dos confrontos antes do jogo Vitória x Braga

Aquilo que a PSP denomina de Casuals – apoiantes do clube bracarense todos vestidos com  roupas  escuras  e  sem  sinais  clubísticos  exteriores  que  os  identificassem – provocaram os distúrbios que ocorreram este domingo, pelas 18h20, antes do jogo que opunha Vitória e Braga. Foram detidas 52 pessoas e registaram-se vários danos em carros estacionados e montras da área. Três agentes ficaram feridos e um adepto foi conduzido ao Hospital.

A PSP apreendeu 23 partes de mobiliário (cadeiras e mesas de duas pastelarias que se encontram no piso de baixo do edifício dos Bombeiros) destruídas e utilizadas como armas de arremesso, duas proteções bocais, um cinto, vários artigos pirotécnicos deflagrados e por deflagrar e ainda “várias gramas de diferentes produtos estupefacientes”.

Em comunicado, a PSP descreve que “ontem, cerca das 18h20, quando já decorria a operação de segurança ao evento desportivo relativo ao jogo da 23.ª jornada da Liga NOS realizado no Estádio D. Afonso Henriques entre as equipas do Vitória  SC  e  do  SC  Braga, quando  os autocarros  dos adeptos  visitantes  ainda  se  encontravam  na auto-estrada, em direção à cidade de Guimarães e devidamente acompanhados por meios policiais, um grupo de cerca de 100 adeptos, também apoiantes do Sporting Clube de Braga, todos vestidos com  roupas  escuras  e  sem  sinais  clubísticos  exteriores  que  os  identificassem, surgiram na Rua Teixeira de Pascoais, em Guimarães”.

Os mesmos iniciaram “cânticos de apoio à respetiva  equipa  e  cânticos  insultuosos  dirigidos  a  um  grupo  de  cerca  de  100  adeptos apoiantes  do  Vitória  Sport  Clube,  deflagrando,  em  ato  contínuo,  vários  artigos  de  pirotecnia,  que arremessaram nas várias direções onde se encontravam os adeptos rivais”. “Em consequência disto, os adeptos apoiantes da equipa visitada  precipitaram-se  na  direção  dos visitantes, munidos de garrafas, pedras, mesas e cadeiras de esplanada”, esclarece.

A PSP diz que se viu obrigada a “recorrer à força e a proceder  a  vários  disparos de  arma anti-motim  com  munições  menos  letais  (vulgarmente designados  por  bagos  de  borracha)”. A Polícia conduziu 52 adeptos do Sporting Clube Braga, intervenientes nestes  confrontos,  às  instalações  policiais  de  Guimarães  para  efeitos  de  identificação,  e  posterior comunicação às autoridades competentes. Contudo, a PSP não revela quantos foram encaminhados para apresentação ao Ministério Público.

Dos confrontos resultaram três elementos policiais com ferimentos ligeiros e pelo menos três adeptos feridos, dois dos quais  receberam  tratamento  nas  instalações  policiais  e  um  foi  conduzido  para  o hospital de Guimarães. Na Rua Teixeira de Pascoais e na Alameda Alfredo Pimenta foram provocados danos em viaturas estacionadas, assim como na montra das instalações das piscinas dos Bombeiros Voluntários.