Diana, Diana, Diana

Fotografias

Por aí surgiu, algures numa gaveta, uma daquelas fotografias que bem me obriga a recordar outros tempos. Era uma fotografia pouco arrojada onde se podia atestar a construção do “Guimarãeshopping”. Ora, esse ícone da cidade, esse pontinho da modernidade era coisa, naquele momento da fotografia, muita diferente da de agora. Recordo o mais que naquela fotografia estava desenhado; uma confusão de autocarros que sempre parecia propositada, aqueles autocarros e camionetas da “Soares” que nenhum Vimaranense há-de esquecer e que pareciam levantar voo, até. E naquele lugar tudo parecia meio terroso, poeirento, desorganizado. Comprar um bilhete era como se nos deixássemos levar pela adrenalina de pagar por uma viagem num parque de diversões.

Ver aquela fotografia faz-me pensar em outras coisa, agora. Não paro de pensar em Issa. Como estará, ou se nem estará. Ver aquela fotografia faz-me lembrar o quanto Issa odeia esses espaços, essas grandes superfícies de comércio…

César Elias, 31 anos, escritor vimaranense. licenciado em Estudos Culturais pela Universidade do Minho, editou em 2010 “secretária antiga” (poesia), em 2012 “América” (romance), “A Cova da Moura”, (guião, bienal de Cerveira 2012). Publica contos, poemas e crónicas em alguns jornais.
Por decisão pessoal, o autor do texto não escreve segundo o novo Acordo Ortográfico.